terça-feira, 31 de janeiro de 2012

DESEJAMOS SUCESSO A VOCÊ !

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

NEXTEL CLASSIFICADOS

CONSULTORIA NEXTEL
 
Bom dia Ulisses:Como falei por telefone,continuam algumas promoções Nextel em Janeiro,para novas linhas:
Aparelho i 576 em locação isento de parcelas
Radio ilimitado com telefone para receber chamadas(pode colocar créditos para chamar)R$ 69,00 mensais
200 minutos com radio ilimitado e chamadas gratuitas para Nextel R$99,00 mensais,Com controle após 200 minutos coloca créditos R$ 109,00.-
Aguardo noticias,indicações para pessoa jurídica são comissionadas.
Atenciosamente com os votos de um bom 2012
Carlos Iglesias Abal
Consultor Nextel
Nextel:7838-1549
ID 21164*4
Fone:3227-0709

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

SEBRAE APOIANDO OS EMPREENDEDORES INDIVIDUAIS

Empreendedores Individuais buscam unidades do Sebrae
  
Percidina Nunes, dona do Restaurante Bom Apetite, localizado no centro de Palmas, buscou o Sebrae para fazer a Declaração Anual do Simples Nacional para o Microempreendedor Individual (DASN-SIMEI). Formaliza há quase 10 meses, a empresária conta que agora tem mais tranquilidade, pois o seu negócio está legalizado. “Ter um CNPJ – Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica fez toda a diferença no meu negócio, inclusive na hora de adquirir produtos para o restaurante”, relata a empresária.
No Tocantins são mais de 17 mil empreendedores individuais que devem preencher o documento e apresentar à Receita Federal até 31 de maio de 2012, inclusive aqueles que não venderam nada. Ao preencher o documento, o empresário deve levar o CNPJ e anotações em geral referente às vendas.
Percidina comenta que o procedimento é rápido, mas tem que estar com os documentos em mãos. “Estou muito satisfeita com o atendimento do Sebrae. Pensei que ficaria a tarde toda aqui”, diz a empresária que também aproveitou para imprimir os boletos mensais de 2012.
O preenchimento da declaração é realizado somente pela internet através do site do Simples Nacional (www.receita.fazenda.gov.br/simplesnacional). Além do Sebrae, os escritórios de contabilidade também estão realizando a declaração. A lista completa de contadores pode ser encontrada no site (www.portaldoempreendedor.gov.br).
Os empresários que não cumprirem com as obrigações fiscais ficarão sujeitos ao pagamento de multa, além perder todos os benefícios previstos em lei. Outra informação importante é que só podem receber os boletos mensais os empresários que fizeram a declaração.
Alerta: Prazo para entrega da Rais
O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) deu um prazo até o dia 9 de março para que às micro e pequenas empresas e os empreendedores individuais entreguem a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) ano-base 2011, documento obrigatório para quem tem CNPJ. Os empreendedores individuais que não possuem empregados estão isentos da Rais Negativa.
Em Palmas, do dia 30/01 a 22/02, haverá palestras esclarecendo o que é a Relação Anual de Informações Sociais (Rais). O Sebrae atenderá em 4 horários: 8h30; 10h30; 14h30 e 16h30. A instituição ainda informa que as empresas que não entregarem a declaração até o dia 09/03 pagarão multa a partir de R$ 425,64, acrescido de R$ 106,40 por bimestre de atraso.
A declaração é feita pela Internet, no portal do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), nos endereços http://portal.mte.gov.br/rais/ ou www.rais.gov.br. Quem tiver dúvida na hora de preencher o documento pode procurar as unidades do Sebrae nos Estados ou ligar para o telefone 0800 570 0800.

(Agência Sebrae)
  
 

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

CONDOMÍNIOS ATUAM COMO EMPRESAS NO BRASIL

18/01/12 - 00:00 > IMOVEIS

Condomínios no Brasil começam a atuar como empresas estruturadas

 
São Paulo - Os apartamentos e as vilas residenciais fechadas estão se transformando nos atores principais de um fenômeno muito interessante. Trata-se da mudança de comportamento dos condomínios, que estão atuando como verdadeiras empresas. Atualmente, é cada vez mais comum encontrar pessoas que desejam morar em apartamentos, ao invés de se fixar em casas de rua. Por conta disso, os condomínios vêm aprimorando cada vez mais os seus serviços para satisfazer esses moradores, transformando os conjuntos habitacionais em empresas de grande funcionamento.

No século 21, os condôminos ganharam o status de cliente. Uma prova disso é a crescente busca dos síndicos, destes conjuntos habitacionais, por serviços terceirizados, que regist raram um aumento anual de 25% a 30% na procura. São "empresas" que precisam gerenciar pessoas e recursos, além de lidar com questões jurídicas, trabalhistas, fiscais e operacionais. Segundo Amilton Saraiva, da GS Terceirização, a porcentagem dos novos prédios que contratam serviços terceirizados chegam a 70%, entre portaria, segurança, manutenção, e até administração. "Num condomínio grande, com muitas demandas, não dá para esperar que um morador cuide de tudo. Ninguém tem tempo para fazer esse trabalho hoje em dia", explicou Saraiva.

Em alguns condomínios, a ocupação destes funcionários chega a ser de 99% para prestar atendimento aos moradores, bem como realizar serviç ;os de limpeza geral. Inclusive, é possível encontrar até professores de educação física, que ajudam os moradores a realizarem atividades na academia do prédio. Muitos contam que acabam não conhecendo o funcionário, porém, nenhum deles registra alguma queixa em relação ao serviço que está sendo prestado pelo mesmo.

Um condomínio se assemelha a uma empresa principalmente na parte administrativa. Ricardo Soares, síndico de um condomínio da zona sul de São Paulo, garante que esse fenômeno já é realidade e que deve funcionar perfeitamente se ho uver comprometimento de todas as partes. "Se não houver profissionalismo e seriedade na gestão do condomínio por parte do síndico, conselho e administradora, a empresa [condomínio] passa a não funcionar bem e os maus resultados começam a aparecer", conta
 
 
Fonte: DCI 
(http://www.dci.com.br/Condominios-no-Brasil-comecam-a-atuar-como-empresas-estruturadas-8-406934.html)

O ADMINISTRADOR DO SÉCULO XXI

O administrador do século XXI

Em primeiro lugar, é preciso ter uma visão global, sistêmica. 

O papel de um gestor é sempre por demais atribulado - de controle de custos à criação de estratégias comerciais - um administrador é muitas vezes o último recurso. O "resolvedor de problemas" das mais diversas naturezas. Os problemas, porém, mudaram, juntamente com os tempos. Vamos tomar como exemplo o comércio. Se antes os problemas eram "como combateremos a liquidação do nosso concorrente da rua ao lado", hoje é "como vamos concorrer com um site chinês que vende nosso produto pela metade do nosso preço de custo", ou ainda "qual foi a taxa de conversão em vendas da loja da nossa estratégia de mídias sociais". Perguntas que ainda não circulam tanto pelos corredores quanto deveriam.

alt
Imagem: ThinkStock

O administrador do século XXI deve ser um profissional global que passeia entre as ciências humanas e as ciências exatas com igual maestria. Não existe mais administração local, simplesmente porque o "global" invade nossos lares e empresas a todo momento. Eu, como administrador da minha carreira e dos meus negócios, tenho refletido muito sobre as competências necessárias para esse novo papel da administração e vou listar abaixo algumas características necessárias a esse novo administrador em um século digital.
Em primeiro lugar, como disse, o administrador do século XXI deve ter uma visão global, sistêmica. Deve ser um integrador por excelência, acima de qualquer outra coisa. Deve saber lidar com grande quantidade de dados e mensurações que a internet permite - o que pressupõe um domínio de Excel, leitura de gráficos e uma boa base de estatística - e deve saber lidar com pessoas. Apesar de muitos acharem que a internet é uma rede de computadores, ela é uma rede de pessoas.
Um administrador do século XXI é um eterno estudioso. A ciência do Management está mudando em função de tendências como gestão de conhecimento em larga escala, possibilidades de co-criação de produtos, iniciativas de construção de inteligência social, ações de inovação aberta e gamificação de processos. Palavras que há apenas poucos anos não pertenciam aos vocabulários de executivos, seja de que segmento fosse.
O gestor hoje em dia deve ter em mente que a governança não é um diferencial ou uma opção. É uma exigência da tecnologia que deixa tudo forçosamente às claras. É o fim das negociatas ou falta de transparência com o mercado.
Há um movimento crescente de mudança nas práticas de consumo acompanhado de preocupações cada vez maiores com a melhora da qualidade de vida da sociedade e do indivíduo. Nesse campo temos alguns movimentos como consumo compartilhado e principalmente sustentabilidade comunitária. É lógico que ainda estamos bem longe do ideal de sociedade justa e responsável, porém, estamos caminhando a passos largos, uma vez que estamos tomando consciência de que estamos nos aproximando do ponto sem volta.
A inversão do eixo econômico, antes EUA-Europa, agora China, Brasil, Índia, Russia é algo que deve ser profundamente conhecido dos gestores. A política implementada pelo líder chinês Deng Xiaoping no final da década de 70 fez surgir um gigante global do que poucos ainda dúvidam de sua força. O eixo EUA-Europa reina, mas já não governa. Entender essas mudanças na economia mundial é essencial para tomar decisões acertadas baseadas no presente, não no passado.
Podemos tirar como conclusão desse breve artigo que as mudanças pelas quais o mundo está passando são algumas das mais significativas dos últimos séculos, só suplantada, talvez, pela revolução industrial. Em um mundo em mudanças, alguns se agarram aos velhos conceitos e naufragam diante da inovação, outros se arriscam em um mundo desconhecido, mas cheios de oportunidades. Cabe a você decidir em que time você estará.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

CRESCE FATURAMENTO DAS MPES EM 2011

Sebrae: faturamento de micro e pequenas empresas cresce em 2011

16 de janeiro de 2012 • 20h28 •  atualizado 20h45
 O faturamento real das micro e pequenas empresas (MPEs) aumentou 4,3% de janeiro a novembro de 2011, de acordo com a pesquisa Indicadores Sebrae-SP. Também em novembro do ano passado, houve aumento, em relação ao mesmo mês de 2010, de 6,1%.



De acordo com a pesquisa, o setor de serviços teve alta de 13,5% no faturamento, na comparação com novembro de 2010. O comércio foi o setor que menos cresceu, embora tenha tido aumento de 2,3%.


Outra conclusão foi que os micro e pequenos empresários paulistas estão otimistas quanto ao ano de 2012. Dos proprietários de MPEs, 31% acreditam que terão aumento no faturamento em 2012, 50% acham que manterão a receita e apenas 7% esperam queda no faturamento real.


De acordo com o diretor superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP), Bruno Caetano, as micro e pequenas empresas tendem a acompanhar o ritmo de crescimento na economia do País. "Considerando as características das MPEs, que vendem principalmente para o consumidor, no mercado interno, a evolução da ocupação e da renda na economia deverão influenciar, de maneira relevante, o desempenho das MPEs em 2012", disse.


A pesquisa é feita todos os meses pelo Sebrae-SP, com apoio da Fundação Seade. Em novembro, participaram do levantamento 2.716 micro e pequenas empresas dos setores de comércio (57% do universo das MPEs paulistas no setor), serviços (32%) e indústria de transformação (11%). Em todo o Estado, são mais de 1,3 milhão de empresas nos três setores.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Qual é a tua obra?

ENDEAVOR 2012

Entre se tornar ou não um empreendedor, ganha quem tem coragem de se conhecer melhor.

Duas datas marcaram fortemente a minha decisão de mudar de carreira: o dia em que cogitei uma mudança e meu último dia como executiva de uma multinacional. Foram seis meses alternando momentos de dúvida, certeza, frustração, sonho...
Porque não experimentava mais prazer no ambiente corporativo? Porque minha tão sonhada e planejada carreira executiva não mais me satisfazia?
O contato com empreendedores e seus grandes sonhos, muito motivaram minha inquietação. A essa altura já era fato para mim, que eu precisava iniciar uma nova atividade profissional, mas qual? Quando? Por onde começar?
O ponto zero é a identificação do nosso propósito, o que nos motiva e nos dirige. Por meio do coaching, da terapia, de muita reflexão e coragem, repensei meu propósito de vida e desenhei novas alternativas profissionais. Quando entendemos essa motivação, ficamos mais atentos às oportunidades, mantemos um olhar lá na frente seguido de uma imensa disposição para realizar.
Tendo mais clareza do meu propósito, busquei os porquês, analisei riscos, avaliei alternativas, construí possibilidades, estudei forças e fraquezas e, principalmente, compartilhei. Enfim, me "alimentei" do mundo exterior para, fazendo as perguntas certas, efetivar as melhores escolhas.
Empreender foi a minha escolha e a construção de um plano de ação foi um grande aliado para lembrar o "caminho", identificar obstáculos e criar alternativas. Na ausência de um plano, qualquer acontecimento pode servir de desculpas para não seguirmos em frente e o futuro vira nosso tempo verbal preferido.
Nós somos a primeira barreira, relutamos em confrontar a realidade. Diria que o segundo lugar também é nosso, ego e vaidade não permitem que, por um período, sejamos ou tenhamos “menos”. Família e amigos, sem querer, ganham a terceira posição. O excesso de cuidado conosco aparece em uma espécie de apelo para que não “sejamos loucos” em mudar. Barreiras relacionadas a recursos, energia, ambiente etc. ganham as posições seguintes.
Após um pouco mais de um ano, aprendi que nesse jogo não pode haver “depois”, “não posso”, “não sei”, “sozinho” e “sempre foi assim”. Podemos tudo, desde que tenhamos coragem para nos conhecer, disposição para fazer e sabedoria para sustentar nossas escolhas.
É possível que muitos de você prefiram o lema "deixa a vida me levar", não tentarei demover ninguém dessa crença, só convido-os a refletir se é mesmo uma crença ou se é uma reação diante da dificuldade natural de lidar com o tema. Na dúvida, a pergunta:
Qual o seu propósito?

Cláudia Klein é sócia da Argumentare, atua como Coach, palestrante e consultora de gestão.