sábado, 31 de março de 2012

RECUO NA ATIVIDADE INDUSTRIAL

Nível de atividade industrial recua 8,8% em fevereiro

No comparativo com o mês anterior, o crescimento registrado foi de 3%

Relatório divulgado ontem (29) pela Fiesp (Federação das indústrias do estado de São Paulo) o INA (Indicador de Nível de Atividade) da indústria de transformação paulista recuou 8,8% em fevereiro, na comparação com o mesmo período do ano passado.
Se comparado com janeiro, sem ajustes sazonais, quando a evolução foi de 1,5%, a produção de fevereiro aumentou 3%. O relatório apontou também queda de 0,8% para 1,5%, com ajuste sazonal, no INA de janeiro deste ano frente a dezembro de 2011.
Segundo o diretor do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) de Marília, Flávio Peres, o resultado de fevereiro só é superior porque no primeiro mês do ano a evolução é muito negativa. “O resultado só cresceu, pois janeiro é considerado um mês muito ruim, mas a desindustrialização continua, como podemos sentir no comparativo com o ano passado. A indústria brasileira está doente, precisa de apoio governamental”.
Peres lembra que em todo o ano passado o nível da atividade industrial cresceu apenas 0,2%. Para o diretor se o resultado continuar neste ritmo, a tendência é que a atividade registre saldos negativos.
Já o Nuci, que mensura o nível de utilização da capacidade instalada, ficou em 80%, sem considerar o ajuste sazonal, o que representa elevação de 0,4% contra 79,6% registrados no mesmo ano de 2011. Na série com ajuste sazonal, o Nuci ficou praticamente estável com 0,1%.
A Fiesp também divulgou na quinta-feira o resultado da pesquisa Sensor, que aponta a percepção dos empresários quanto às perspectivas econômicas. Em março, o Sensor ficou em 51,9 pontos, depois de ter apontado 48,8 em fevereiro. Foi o maior nível do indicador desde maio do ano passado, quando atingiu 52,2 pontos.

FONTE DIÁRIO DE MARÍLIA
 

quinta-feira, 15 de março de 2012

EVENTO " MANHÃ DE AUTÓGRAFOS COM PALESTRA "

segunda-feira, 12 de março de 2012

EDUCAÇÃO - INVESTIMENTO GARANTIDO

Educação- Investimento que não se perde

Formar-se e especializar-se é algo decisivo para a carreira de qualquer um. É o melhor caminho para crescer profissionalmente ou mesmo mudar de profissão.

De acordo com os especialistas em seleção, os principais obstáculos para encontrar o candidato mais adequado são: a falta de qualificação, de especialização e falta de fluência em idiomas estrangeiros1.

Confira algumas dicas para escolher seus próximos cursos sem perder tempo.



1. Defina seus interesses e objetivos profissionais.
Analise suas formações anteriores, suas experiências de trabalho e estabeleça seus objetivos profissionais. Conversar com profissionais da área e conhecer mais sobre o mercado pode ajudar na orientação. Assim fica mais fácil identificar os cursos que você precisa fazer para chegar até lá. 

2. Idiomas, idiomas, idiomas.
Aprender um idioma abre diversas possibilidades a qualquer profissional, da mesma forma que não saber bem um idioma estrangeiro pode limitar sua ascensão profissional. Aprenda ou aperfeiçoe seu inglês, e, saber uma terceira língua, como o espanhol ou outro idioma, pode ser o diferencial que faltava para o seu currículo.

3. Informação é a chave
Uma vez identificados os conhecimentos que você necessita para atingir seu objetivo profissional, é hora de procurar informações práticas: onde são oferecidos os cursos que você busca, como poder cursá-los, investimento requerido, duração do curso, horários, etc.

Para ajudar você na tarefa de encontrar cursos e melhorar seu perfil profissional, o InfoJobs desenvolveu uma área exclusiva para encontrar os cursos que ajudarão no crescimento da sua carreira: InfoJobs Educação. Neste site, você pode encontrar cursos presenciais, semipresenciais ou online em todo o Brasil e receber alertas sobre as novidades em cursos da sua área de interesse.

terça-feira, 6 de março de 2012

SUCESSO NOS NEGÓCIOS EM 2012

8 etapas para buscar o sucesso do negócio

Empresas modernas, constantemente, enfrentam dificuldades para lidar com a gestão de seu negócio. Demora na entrega de produtos, reclamações de clientes, desmotivação de colaboradores e problemas de comunicação são fatos recorrentes nas organizações, que sofrem o impacto das constantes transformações econômicas, tecnológicas e sociais que afetam o mundo corporativo. Se, antigamente, o sucesso da companhia estava relacionado ao foco na qualidade, hoje é a boa gestão que torna o negócio bem sucedido.

"As organizações vivem um processo evolutivo em que, para sobreviver no mercado, passaram a fazer não só a gestão da qualidade dos processos, mas também trabalhar a qualidade da gestão. Dessa forma, as empresas buscam a excelência, por meio de um processo contínuo e permanente, que gera resultados concretos", ressalta Gustavo Utescher, gerente de processos da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ).

Para auxiliar na busca pela excelência, a Fundação sugere oito caminhos, baseados nos Critérios de Excelência que sustentam o Modelo de Excelência da Gestão® (MEG), que vão contribuir para a melhoria da gestão e o sucesso do negócio.

1 - Seja um líder exemplar
O papel da liderança é fundamental para definir e comunicar os valores e objetivos da empresa para todos os colaboradores. O líder precisa atuar de forma aberta, democrática e ativa, incentivando a cultura da excelência, a promoção de relações de qualidade e a proteção dos interesses da organização. Inspirador e motivador, ele deve primar pela ética empresarial e pelos bons resultados da organização.

2 - Equilibre planos a curto e longo prazos
Estabeleça estratégias para alcançar os objetivos da empresa, levando em conta informações relativas a clientes, mercados, fornecedores, colaboradores, sua capacidade de prestar serviços, produzir e vender. Isso permite posicionar a organização de forma competitiva e garantir a sua continuidade. Em seguida, elabore planos de ação, definindo responsáveis, prazos e recursos necessários para a execução de atividades que visam atingir as principais metas e estratégias no curto e longo prazo.

3 - Conheça e ouça os clientes
Agrupe os tipos de clientes com características similares, identifique e analise suas necessidades, a fim de oferecer os serviços ou produtos adequados a esses grupos. Considerando suas diferenças, divulgue produtos e serviços no canal mais adequado para atingir os clientes. Promova avaliações periódicas do nível de satisfação e crie um meio de comunicação para ouvir as reclamações e sugestões, a fim de identificar oportunidades de melhoria.

4 - Preocupe-se com o meio ambiente e seja socialmente responsável
Fique ciente dos danos que as atividades e instalações da empresa causam ao meio ambiente – faça o consumo controlado de água, energia elétrica e papel, e descarte corretamente sobras de produção, lixo, lâmpadas fluorescentes, cartuchos de impressora e embalagens. Promova ações e projeto sociais, conscientizando e envolvendo os colaboradores com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento sustentado. Doações que auxiliam temporariamente a comunidade são atividades isoladas que não atingem esse objetivo.

5 - Organize as informações
As informações necessárias para a execução das atividades da empresa, análise e condução dos negócios devem estar definidas e organizadas por um sistema padronizado, que disponibilize ferramentas e tecnologias mais eficazes para atender as necessidades dos colaboradores. A empresa deve ainda compartilhar as informações a fim de permitir a execução adequada das funções. Quando registradas e documentadas, essas informações possibilitam a continuidade das atividades em caso de substituição de profissionais.

6 - Incentive, Respeite e valorize colaboradores
Defina claramente as funções e responsabilidades dos colaboradores, pontuando a participação de cada um e promovendo a sinergia do trabalho em equipe. Disponibilize ações de capacitação com base num plano de treinamento, a fim de desenvolver as habilidades e conhecimentos para exercer as atividades diárias. Na hora de contratar, selecione colaboradores que estejam aptos a atender as necessidades atuais e futuras da organização. Isso os mantém motivados e satisfeitos com o trabalho.

7 - Domine os processos e forneça informações confiáveis
A organização, por meio dos seus gestores, deve conhecer e segmentar o conjunto de processos que agregam valor para o negócio, bem como aqueles relacionados aos fornecedores e aos aspectos financeiros. A tomada de decisões e execução de ações precisa ter como base na medição e análise do desempenho, levando-se em consideração as informações disponíveis, além de incluir os riscos identificados.

8 - Controle o desenvolvimento do negócio
A empresa deve estabelecer indicadores e metas que permitam controlar as principais atividades e analisar o desempenho do negócio. Reuniões regulares com os dirigentes da organização são fundamentais para mensurar os resultados obtidos e tomar medidas corretivas, quando necessário. Esses indicadores e metas precisam contemplar aspectos relacionados a finanças, produção, vendas, fornecedores, clientes, colaboradores e questões ambientais.

Aprendizado organizacional